Batalhamos por algo maior

A Vinte foi criada inspirada no RPG de mesa (“role playing game” – jogo com ações livres). No RPG os jogadores são personagens em um cenário fictício. Existem regras gerais, porém o enredo é totalmente aberto e construído pelos jogadores e orientado pelo mestre: jogador responsável por criar a história e o cenário. É ele também quem define previamente a quantidade de tesouro e os obstáculos que serão enfrentados.

No RPG de mesa, cada decisão tomada influencia diretamente nas habilidades, na história e no final da aventura do personagem e de sua equipe. Em cada sessão, não são conhecidos outros personagens que o mestre colocará, os perigos e riscos que envolvem cada missão.

O nome da nossa empresa é inspirado no dado de vinte faces utilizado pelos jogadores, onde o número 1 representa o fracasso e o número 20 representa o sucesso de uma determinada ação escolhida como, por exemplo, escalar uma montanha.

Depois de entendermos como funciona e testar, percebemos que podemos encaixar a lógica do RPG na empresa.

Com uma gestão interna diferente e voltada para gamificação, nós jogamos enquanto trabalhamos. Realizamos nossos sonhos (pessoais e profissionais) e serviços de forma prazerosa. E não para por aí: tudo que planejamos e fazemos é focado em gerar impactos positivos na sociedade através de serviços de comunicação digital estratégica voltados para profissionais liberais, autônomos e empresas. Nós queremos fazer com que a missão e o propósito dos clientes sejam fontes de inspiração para a sociedade.

Dentro da lógica do RPG os personagens dos jogadores têm um propósito e enfrentam obstáculos em busca de completar sua missão. Durante o percurso, tomam decisões baseadas em seus valores e nenhum inimigo é capaz de corrompê-los. Cada personagem tem um objetivo pessoal bem claro para si. Alguns preferem compartilhar esse objetivo para os colegas de aventura, tornando o grupo mais unido e criando cooperação mútua.  

A Vinte busca cooperar com o mundo. Em relação à atividade econômica, falamos que estamos dentro do quarto setor da economia. Basicamente é o setor onde estão companhias que não visam apenas o lucro, mas contribuir para um mundo melhor. Nosso negócio está além da comunicação digital, queremos que ele seja visto como uma força para o bem. Nós não visamos o lucro apenas pelo lucro. Ganhar dinheiro é importante, mas ter um propósito maior que você e gerar um sentimento de gratidão nas pessoas são coisas impagáveis.

E é esse o sentimento que queremos gerar para os clientes de nossos clientes: gratidão. E para os nossos clientes, o sentimento de missão cumprida.

Essa é a nossa batalha. E então… Pelo o que você entra em combate? Pelo o que você luta? Vamos conversar!

Adicione um comentário